sábado, 24 de abril de 2010

MUDANÇA DE IDENTIDADE



Será que se trata de algum sósia? Ou é apenas uma gralha jornalística?

QUEM VAI P'RO MAR... AVIA-SE EM TERRA


O treinador da Académica, André Villas Boas, divulgou hoje a lista de convocados para o jogo frente ao Leixões, agendado para amanhã, Domingo, pelas 16h00, no Estádio do Mar, em Matosinhos.

Lista de convocados

Guarda-redes: 1- Rui Nereu; 12- Ricardo

Defesas: 4- Luiz Nunes; 5- Berger; 15- Orlando; 19- Pedrinho; 22- Emídio Rafael; 30- Pedro Costa

Médios: 28- Jonathan Bru; 33- Tiero; 66- Nuno Coelho; 85- Diogo Gomes

Avançados: 6- Amessan; 11- Lito; 14- Miguel Fidalgo; 18- Sougou; 21- Éderzito; 25- João Ribeiro; 27- Vouho

sexta-feira, 23 de abril de 2010

INTOXICAÇÃO JORNALÍSTICA

Há factos que nunca devemos deixar passar em claro. O artigo de opinião sobre o jogo AAC – SLB que a ex-jornalista Leonor Pinhão (é verdade, desde 1996) escreveu no jornal “A Bola” de 22.04.2010, só pode ser entendido como algo que pretende branquear o que se passou no campo. Diz este vulto do jornalismo português que: “Em Coimbra, Benfica teve de se haver com arbitragem à antiga portuguesa…”. Para quem não viu o jogo no campo, esta afirmação pode levar o mais incauto leitor a deduzir que o Benfica foi escandalosamente, e mais uma vez, “roubado” pelo árbitro. Assim, sem tirar nem pôr! Mas, como o que se lê, normalmente escrito por fanáticos desmedidos e com visão afunilada, não corresponde à verdade dos factos, somos “obrigados” a recuar no tempo e ir à procura das tais propaladas “arbitragens à antiga portuguesa”, quanto mais não seja para podermos ter um termo de comparação. Sem ser preciso recuar muito no tempo e porque o rol de erros de arbitragem a favor dos encarnados é equiparado ao grau de grandeza do próprio clube, basta-nos fazer lembrar a final da Taça da Liga entre Sporting e Benfica, com o Sr. Lucílio Baptista e o seu penalti imaginário; o Braga - Benfica com o Sr. Paulo Baptista em Janeiro de 2009; o Nacional – Benfica com o Sr. Olegário Benquerença já em 2010; e já agora, recuando um bocadinho mais no tempo, lembrar um Académica – Benfica com o Sr. Paulo Paraty, em que o Nuno Gomes marcou o golo da vitória precedido de um fora-de-jogo. Chegam estes? Já agora, todos estes “senhores do apito” poderão rimar com quê? Ficará ao critério de cada analista, procurar a melhor rima para cada um dos intervenientes, na certeza porém de que rimará sempre com favorecimento ilícito. Com tantos erros de arbitragem acumulados seria uma vergonha esta equipa não ser campeã.
Entretanto, lamenta-se que a prática habitual do jornal onde escreve e onde tudo que incomode ou perturbe a acção benfiquista, tenha que ser rapidamente abatido. Daí, não se vislumbrar no extenso artigo, qualquer referência aos casos do jogo que prejudicaram a Académica. Assim, onde está a alusão à merecida expulsão de Maxi Pereira? Onde estão as referências às faltas que o Éder sofreu dentro da área benfiquista? Nem uma letra! Isso não interessa!
Sem mágoas, invejas ou rimas, seria bom que, os articulistas de um jornal com responsabilidades sociais e culturais neste país, tivessem o bom senso de, com os seus artigos de opinião, poder contribuir para a descoberta da verdade e não alimentar a fogueira da mentira. Intoxicação jornalística, não obrigado! O que está em causa em artigos como este é muito mais importante do que a colaboração em qualquer história romanceada de amor e ódio.
Nem o facto de se ser agraciado por uma qualquer ordem honorífica, no tempo em que o actual director de comunicação do Benfica era assessor de imprensa do Dr. Jorge Sampaio, pode servir para exprimir tudo o que nos vai na alma.
Teremos sempre toda a liberdade de nos expressarmos mas, há que distinguir sempre duas coisas…o mérito e a justiça. Vencer com mérito porque jogou bem, sim. Vencer com “justiça” porque houve influência do árbitro, não. Nesta época, é caso para dizer que o circo foi montado e…bem montado.
Para quem não quer esconder a verdade atrás do fabrico de uma outra opinião, será aconselhável a alguns jornalistas e ex-jornalistas, lerem o livro Opinion Makers de David W. Moore, tem 196 páginas, ou seja, tem mais 70 do que o prospecto do Empréstimo Obrigacionista do Benfica, mas é muito mais interessante.

Termino com as palavras sábias de Leonor Pinhão que encontrei no Correio da Manhã de 17.04.2010 quando diz: “ O futebol é feito destas memórias, não há nada a fazer. E assim nos vamos entretendo.”

[Dr. Kanelada]
23.04.2010


quinta-feira, 22 de abril de 2010

O BRIOSO E VIRTUOSO AVANÇADO


É impossível esquecer quer o jogador quer o homem. No campo, emprestava o perfume do seu futebol, deambulando à frente dos adversários, como se de uma dança se tratasse. Cá fora, era uma pessoa afável, educada, conversadora, amiga e sempre disponível para ouvir os que a ele se dirigiam. Amava a Briosa como poucos e, por isso, conseguia transmitir aos colegas a verdadeira dimensão da Instituição que todos representavam. Um autêntico gentleman.

FORÇA NUNO!

A impossibilidade de dar o seu contributo à equipa durante largos meses, não impediu que o Iraklis FC deixasse de alcançar um honroso 9º lugar. Para a próxima época, já com o eterno nº 28 em pleno e muito provavelmente com a companhia de mais jogadores portugueses, tudo se irá desenrolar de uma forma bem melhor. Força Nuno!

ÁRBITRO PARA A 28ª JORNADA


DIA DA TERRA

O dia que hoje se comemora, serve, antes de mais, para alertar o Mundo em geral para os graves atentados perpetrados pelo Homem contra um Planeta indefeso. Os sinais desses desvarios humanos, reflectem-se nas constantes catástrofes naturais (terramotos, maremotos, tsunamis, trombas de água, deslizamentos de terras, furacões, erupções vulcânicas, etc, etc) que recentemente temos vindo a assistir. Por isso, há que continuar a implementar a política dos três "r's", ou seja, Reduzir, Reutilizar e Reciclar.

A QUEIMA JÁ MEXE

O cartaz que dá a conhecer as bandas que irão actuar nas Noites do Parque, foi apresentado ontem.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

ÚLTIMA HORA


Especialistas em aeronáutica, deram indicações para que todos os aeroportos europeus fossem reabertos. Afinal, veio-se a descobrir que o pó e o odor a naftalina que paira no ar, provém dos cachecóis do S. L. Benfica.

ESPÍRITO OLÍMPICO FICOU MAIS POBRE


O presidente de honra do Comité Olímpico Internacional (COI), o espanhol Juan Antonio Samaranch, morreu nesta quarta-feira em Barcelona, Espanha, aos 89 anos.

Samaranch morreu na UTI do Hospital Quirón de Barcelona, onde estava internado desde Domingo por insuficiência cardíaca aguda.

NOVO SINAL DE TRÂNSITO


Os serviços rodoviários do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (ex-DGV), preocupados com a visita do Papa Bento XVI ao nosso país, acaba de "criar" um novo sinal de trânsito.
Depois de tanta polémica acerca do alegado assédio sexual dos padres a jovens inocentes, pensa-se que com este novo sinal, a ser colocado em zonas consideradas perigosas, a alegada tentação do mal, possa ser evitada.

APANHADOS


O Papa foi "apanhado" a dormir em Malta. No entanto, há quem afiance que a foto é enganadora, levando as pessoas a outras interpretações. O que ele realmente está a fazer, é ver se descobre a marca dos seus sapatos, pois disseram-lhe que eram Prada.
Esta "malta" é danada p'rá brincadeira.

DE BESTA A BESTIAL...

De besta a bestial, foi um passo. Infelizmente, foi preciso ocorrer uma tragédia com a dimensão por todos conhecida, para "unir corações" desavindos. Pelo menos, por enquanto, deixamos de ser considerados como "cubanos". Porreiro, pá!

TRISTE SINA A NOSSA


Sabem quem é que respondeu desta forma? É apenas mais uma deputada desta triste nação que, sendo eleita pelo circulo de Lisboa, tem as viagens pagas para Paris pois é aí que reside. Continuo a perguntar onde está a crise. Os voos semanais e as ajudas de custo, serão suportadas pela Assembleia da Republica. Isto é que é trabalho!
Viva Portugal!

MERCANTILISMO FUTEBOLÍSTICO


Para que não restem dúvidas, aqui fica o Quadro de Preços para quem quiser ir assistir a este jogo. Com preços destes, como é que se pode promover o futebol em Portugal?

terça-feira, 20 de abril de 2010

À BOLEIA DA ACADÉMICA



O Primeiro-Ministro deslocou-se a Coimbra no passado sábado para inaugurar a novíssima unidade hoteleira Vila Galé. José E. Simões, convidado ou não, resolveu aparecer e, na qualidade de Presidente da AAC-OAF, ofereceu a J. Sócrates um livro sobre a Académica.
Fotos de osexoeacidade

SÓ NESTE PAÍS


Mestre em Gestão e Manutenção de Campos de Golfe

Só faltava esta. Não há dúvida nenhuma de que somos (mesmo) um país diferente. Se ainda não acredita, vá até Diário da República, 2ª Serie, nº51, de 12 de Março de 2008 PARTE E.

EXPLOSÃO KROMMÁTICA

video

O REPÓRTER ESTAVA LÁ

Este pequeno vídeo, captado na hora em que a Briosa marcou o seu primeiro golo ao Benfas, teve a felicidade de poder assistir à explosão de alegria protagonizado por alguns elementos krommáticos. No entanto, como é possível verificar, nem todos festejaram o golo com a exuberância que se impunha. Normal? Talvez, atendendo que por aqui também existem tendências bicolores.

AO LADO DO JOGO

Foto MN


ORGULHO EM APOIAR UM CLUBE IMPINGIDO, GRANDE E GANHADOR?

NÃO, EM TER HUMILDADE DE CRESCER A SENTIR A CIDADE E O SEU CLUBE

Provavelmente, muitos adeptos presentes no Estádio, não entenderam o "recado" que, mais uma vez, a Mancha Negra quis transmitir aos sócios e simpatizantes da Briosa em particular, e à cidade de um modo geral. De facto, ao lermos as inscrições nas tarjas de uma forma mais ligeira e descontraída, parece-nos algo descabido e sem nexo. No entanto, uma leitura bem mais atenta, leva-nos a perceber que a mensagem se dirige àqueles que sendo de Coimbra, preferem seguir e apoiar os clubes mais ganhadores e com mais adeptos do que vibrar e ajudar o clube da sua cidade, neste caso a Académica, fazendo com que ele volte a ter dias de glória como no passado. Paralelamente, estas palavras que faziam parte da coreografia da MN, também se dirigiam aos adeptos de duas cores que, em jogos como este, colocam (sempre) em primeiro lugar o interesse do clube chamado grande, em detrimento da Académica. Enfim, são formas de estar e de encarar a vida, e que apenas podemos lamentar. O desejo e a liberdade de poder apoiar quem muito bem entendermos, é algo muito pessoal e um direito inquestionável.

PRIMEIRA PÁGINA INFELIZ

A manchete do Diário de Coimbra do dia 19.04.2010, a que a foto se refere, foi resultado de uma escolha editorial infeliz. O jornal diário com mais tiragem na região, deixou-se contagiar pela "pandemia vermelha". É bom recordar que nesta cidade, paradigma de tradições relevantes, nunca se estenderam tapetes ou passadeiras (com ou sem metáforas), fosse para quem fosse, e muito menos no que ao futebol diz respeito. Estamos a falar de um simples jogo de futebol que, por ordem de um calendário, opôs a Briosa ao possível e previsível campeão. Nada mais do que isto! Estranha-se, por isso, esta primeira página com este título e esta foto, uma vez que acaba por não dar a informação mais correcta e fiel do que aconteceu no Estádio Cidade de Coimbra, ou seja, o jogo em si mesmo. Perante este facto, é caso para perguntar: Será que só havia adeptos "trajados" de vermelho? Não conseguiram captar os protagonistas do encontro? E a Mancha Negra? E os outros adeptos da Académica? Absolutamente lamentável!
É frequente dizer-se que os olhos são os primeiros a comer e, por via disso, é que me entristece ver capas de jornais nos escaparates, expostas a todos os olhares, deixando vislumbrar alguns resquícios de uma postura subserviente ao mais "forte" e alguma falta de criatividade e ética jornalística.

AGORA É QUE É!


O actual treinador do V. Guimarães vai, nas próximas duas épocas, treinar o Sporting Clube de Portugal, conforme relata o comunicado enviado à CMVM pela administração da Sociedade Anónima Desportiva leonina cerca das 09h00 de hoje.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

A FALTA DE IMPARCIALIDADE DA NOSSA IMPRENSA

Como se viu, e sem tirar mérito à vitória dos lampiões, tenho que me referir a arbitragens vergonhosas que se têm assistido, nomeadamente nos jogos da nossa Briosa.
Não falando de jogos passados falo simplesmente no de ontem em que a dualidade de critérios é gritante, perante um "sistema" que está implantado, este ano, de cor vermelha.
Quando um apitador ou um seu auxiliar não vê aquilo que milhões de pessoas descortinam e se querem mostrar isentos, torna este futebol no que ele é: paupérrimo e sabendo de antemão quem será vencedor.
Alterar-se-ia o desenrolar da partida? Ninguém o pode garantir, mas poderia ter outro cariz!
No primeiro golo dos lampiões, esta "encomenda do VP, não viu a patada de Maxi Pereira em J. Ribeiro. Nem o auxiliar que ali estava tão perto.
Numa jogada dentro da área encarnada, não reparou num empurrão de David Luís a Éder, indo a bola bater-lhe na mão e ainda os vermelhos a protestar por este acto.
No terceiro golo, a antecedê-lo a falta existente sobre Diogo Gomes.
Na segunda parte, numa fase em que a Briosa procurava o golo, quando Éder dentro da área se prepara para rematar, e impedido em falta por Sidnei.
Ora, numa vista de olhos pelos jornais da especialidade só o "Jogo" se refere à segunda sem que qualquer outro escalpelize os lances com algumas dúvidas.
Nas reportagens televisivas nem sequer se fala em tais lances.
Bem vistas as coisas como se pode alterar um sistema implantado que num ano é azul, noutro é vermelho e noutro é verde (andrades, lampiões, lagartos para não se confundir com outros clubes). Este ano, declaradamente, é vermelho, sem qualquer dúvida!
Só muito dificilmente qualquer outro clube poderá almejar a ser campeão neste País!
Quando as regras de jogo (leia-se lisura) se alterarem é que poderá haver um outro emblema a lutar por um título.
Até isso acontecer (quando será?), vamos ter um campeonato a três em que se degladiam como se fossem donos de tudo e da razão, quer seja na rádio, jornais e televisões.
Assim as pessoas começam a ficar fartas e indo cada vez menos a este espectáculo "programado",
Até que ponto aguentaremos isto? Se calhar, como vem sendo ano após ano, as assistências vão sendo cada vez menores e os clubes a não terem capacidade de sobrevivência. Mas toda a imprensa tem uma cota parte muito grande na situação, porque está embrenhada neste assunto e não quer esmiuçar tudo, de uma vez por todas.

ABSOLUTAMENTE LAMENTÁVEL!

Benfica acusa Académica de política "mercantilista"

Mais de sete mil bilhetes a um preço de 65 euros são, na opinião do Benfica, o motivo do jogo com a Académica não estar com lotação esgotada.
No final do jogo com a Académica, que o Benfica venceu por 2-3, o director de comunicação encarnado acusou o clube de Coimbra de uma "política absolutamente mercantilista".
João Gabriel proferiu estas palavras por a Académica ter colocado à venda mais de sete mil bilhetes com um preço perto dos 65 euros. Com este preço, afirmou o director de comunicação, "é impossível promover o futebol em Portugal".
Estas críticas foram usadas pelo clube da Luz para realçar o facto do estádio de Coimbra estar longe da sua lotação total apesar de, durante a semana, terem vindo de Coimbra várias notas que dariam conta de casa cheia para este encontro com o Benfica.
Além destas declarações, já Jorge Jesus tinha falado do assunto, manifestando o desejo de poder ver muitos adeptos mas que "com bilhetes a 60 euros, não era fácil".
Do lado da Académica, surgiu a resposta por parte de JES que, depois da conferência de imprensa de AVB, disse claramente que: "Na Académica mandamos nós e não somos sensíveis a qualquer pressão exterior. No futebol há que saber ganhar e perder, mas parece que perante a proximidade do sucesso, e depois do último título ganho (já lá vão cinco anos) ter sido tão longínquo, isso nem sempre acontece."

A arrogância deste "papagaio", absolutamente lamentável, voltou a vir ao de cimo e demonstrar mais uma vez que não tem vergonha nenhuma. É evidente que muito pouca gente concordará com os preços dos bilhetes que são praticados pelos clubes que disputam as duas principais competições nacionais. No entanto, este jornaleiro, devia saber que as receitas que clubes como a Académica podem fazer com os ditos grandes, são quase tão importantes como o oxigénio que se respira. Assim e, partindo deste pressuposto, cada clube é livre de colocar os bilhetes à venda pelos valores que muito bem entender, sem com isso ultrapassar os valores que estão estipulados pela LPFP. Quanto à questão da promoção do futebol em Portugal, seria bom que este jornaleiro falasse com o seu presidente ou, em alternativa, consultasse tudo o que se tem dito e feito de mal ao futebol português.
Afinal, são "fazedores de opinião" como estes, que caíram de pára-quedas no futebol português, que fazem com que ele seja desprestigiado, pobre, pouco competitivo e esteja a definhar ano após ano. Pessoas como esta, o único bem que podiam fazer ao futebol nacional, era deixar de o maltratar e ir embora.
Como nota final, veja aqui os preços que estes "lampiões" se propõem praticar em sua casa contra o Olhanense. Afinal quem é que é mercantilista? Não há dúvidas de que "pela boca morre o peixe".

domingo, 18 de abril de 2010

ACADÉMICA - 2 SLB - 3

Mais uma vez acontece de tudo a esta Académica.
Mal os espectadores se acomodavam nos lugares e já a equipa sofria o primeiro golo, estavam decorridos 2m, penso que com culpas para o R. Nereu. Aliás nos dois primeiros golos a bola entra pelo lado onde estava colocado.
Mas não posso de deixar de falar na arbitragem de uma forma concludente: na primeira parte e antes de acontecer o golo do empate há um desvio de D. Luis a Éder dentro da área. Na segunda o mesmo Éder preparando-se para finalizar é impedido de o fazer, em falta. No terceiro golo e precedido por uma falta sobre Diogo Gomes à entrada da nossa área, sem nada assinalar.
Contra isto, nada se consegue fazer. Penso que temos sido brandos demais na abordagem das arbitragens e teremos que ter cuidado, pois estamos na recta final, e nunca são referidas os maus juízos nos nossos jogos e com prejuízos acentuados. Em dois seguidos os apitadores resolvem os resultados. Claro que o jogo de hoje seria muito difícil de ganhar, já que o sistema vermelho não deixaria, pois está em jogo um título.
Temos três jogos para fazer os pontos para garantirmos a manutenção, pensando que a equipa tem valor para o conseguir.
Mas toda a equipa foi condicionada pelo primeiro golo.
Rui Nereu - penso que tem culpas no primeiro golo já que andou a bola por terrenos dele sem tomar uma atitude qualquer, apesar de não ser o único que estve a "ver".
Pedrinho - abanou na primeira parte, talvez por pensar que Di Maria seria um quebra-cabeças: não foi assim apesar de ter partido do seu lado os centros para dois golos adversários. Na segunda subiu de rendimento e esteve muito mais afoito na parte ofensiva.
Luís Nunes - esteve em bom palno anulando Cardozo que praticamente não se viu em todo o jogo. Não comprometeu. Uma boa cabeçada com selo de golo bem defendida pelo guarda-redes contrário.
Berger - Aimar apareceu bastante pelo seu lado mas não se atemorizou perante o maestro vermelho e levou bastantes vezes a melhor. Sem atingir o nivel habitual, cumpriu.
E. Rafael - tal como toda a equipa esteve melhor na segunda parte subindo amiúde e ajudando no forcing final, na tentativa do empate.
Tiero - mas porque não tenta, o motor desta equipa, já que tem um remate forte mais vezes a baliza contrária? Se não rematar não marca de certeza. Tentando tem possibilidades de êxito.
N. Coelho - não deslumbrou, mas também não comprometeu, mas sentiu o peso do adversário.
D. Gomes - penso que talvez tenha conseguido a sua melhor exibição, pela abnegação e o que correu durante o jogo, sendo premiado pelo golo que marcou fora da área.
Sougou - definitivamente não está no seu melhor. Os desequilíbrios que criava nas defensivas contrárias não as consegue, talvez porque a sua forma física já não seja a melhor.
Éder - luta, luta, luta. Vai dar que falar este miúdo. Tem planta fisica e desgasta um defesa já que nunca vira a cara à luta. Sobre ele foram feitas duas faltas dentro da área que o apitador fez vista grossa. Com um ponta-de-lança de raiz junto dele vai ter outra performance.
J. Ribeiro - jogou enquanto durou. Tal como o colega do outro lado não estará na melhor forma física.
Vouho - lutou bastante mas julgo que dentro da área poderá render muito mais, até porque é possante e poderá usufruir do trabalho de Éder.
M. Fidalgo - entrou para ser mais um atacante na procura do empate, mas nota-se a falta de ritmo.
Perante o sério candidato ao título a Briosa não se encolheu e discutiu o resultado até ao fim.
Mas esta equipa com um pouco de sorte (que faz parte de qualquer jogo!) poderia neste momento estar numa posição bastante mais consentânea com o que tem produzido.
Quanto aos apitadores enviados por VP, cumpriram a sua missão. Não complicaram o sistema vermelho. Mas prejudicaram a Briosa!

AAC 2 SLB 3



Resumo do jogo

ENTRAR A PERDER


André Villas Boas

No final, e na abordagem aquilo que se desenrolou dentro de campo, foi questionado acerca de uma possível frustração, ao que respondeu: «Frustração por não ganhar. Sofremos um golo muito cedo, condicionou um bocado o jogo. Conseguimos crescer e ser superiores, mas é difícil contra o Benfica, quando resolvem individualmente. O 2-1 resolveu o Di Maria, no 3-1 parece que há um lance duvidoso sobre o Diogo na lateral, mas não importa estar a discutir isso. Importa parabenizar os jogadores pelo que fizeram, não é fácil jogar com o Benfica desta maneira.»
A Académica vai a tempo da manutenção? «Estamos numa posição privilegiada para o conseguir. Acho que merecemos, pelo nosso carácter e personalidade. Estamos a um pequeno passo e acho que não vamos vacilar.» Villas Boas acrescentaria que o próximo jogo pode ser considerado uma autêntica final.

É PRECISO ACREDITAR


Lista de Convocados

Guarda-redes: 1- Rui Nereu; 12- Ricardo

Defesas: 2- Amoreirinha; 4- Luiz Nunes; 5- Berger; 19- Pedrinho; 22- Emídio Rafael; 30- Pedro Costa

Médios: 17- Cris; 28- Jonathan Bru; 33- Tiero; 66- Nuno Coelho; 85- Diogo Gomes

Avançados: 11- Lito; 14- Miguel Fidalgo; 18- Sougou; 21- Éderzito; 25- João Ribeiro; 27- Vouho

PARABÉNS AO "RUÇO"


Nascido a 18 de Abril de 1950 no Bairro Alto em Lisboa, Artur Manuel Soares Correia, também conhecido como o “Ruço”, começou a jogar futebol nas camadas jovens do Futebol Benfica. De seguida transitou para o S. L. Benfica, sendo campeão logo no seu primeiro ano nas camadas jovens (juniores) do clube da Luz. As suas exibições fizeram com que Otto Glória o escolhesse para fazer parte do plantel principal. No entanto, o sonho de ser médico afastaria essa hipótese. Esse tal sonho levá-lo-ia até Coimbra, onde viria a brilhar na equipa da Académica.
Na sua passagem pela Briosa, na altura treinada pelo Juca, destaca-se a época 70/71, em que conseguiu realizar 26 jogos, marcar um golo e projectar a Académica a alcançar o 5º lugar da classificação.
Mais tarde, já no S. L. Benfica, viria a ser considerado pelo mister Stefan Kovacs como o melhor defesa direito da Europa.
O final da sua carreira viria a acontecer nos EUA, no ano de 1980. Com 29 anos e com o seu estado de saúde bastante debilitado, o “Ruço” seria obrigado a parar e a ter de refazer toda a sua vida.